Doni, Nando e Rita retornam em novas aventuras, o trio de
amigos que cresceram juntos na mesma favela e que foram influenciados pelo
fascínio do funk, do tráfico de drogas e da igreja estão crescendo em suas
personalidades nesta 2ª temporada.

A produção original brasileira da Netflix comandada por
Kondzilla mostra que o trio protagonista continua usando suas experiências de
infância em seus caminhos muito divergentes e aqui o roteiro do quarteto Guilherme
Quintella, Duda Almeida, Thays Berbe e Pedro Furtado vai mais afundo nos dramas
pessoais e consequências das escolhas que Doni, Nando e Rita tomaram em suas
vidas.

Christian Malheiros continua sendo o ponto alto do show, as
suas cenas e decisões pessoais como Nando continuam mais intrigantes e o gancho
no final da 2ª temporada deixado com o seu personagem só mostra como as tais
decisões iram gerar muitas consequências não só para Nando, mas também de forma
emocional para Doni e Rita que estão ao lado do seu amigo.

Falando em Rita, a personagem de Bruna Mascarenhas resolveu encarar os seus demônios
e até conseguiu tocar para que outros ao seu redor percebam que podem ser
pessoas melhores. Usar e mostrar o lado limpo e sujo da igreja no meio do tráfico
de drogas é uma decisão bastante acertada de Kondzilla, que mesmo fantasiando
algumas situações, percebe-se que algumas coisas realmente acabam acontecendo
na vida real.

Já Doni vai afundo na sua ambição em ser um grande cantor de
funk, nesta nova temporada vemos o personagem de Jottapê vivendo quase como um astro e
ficando dividido em viver uma vida de luxo, mas também em não abandonar suas raízes
na favela. Como todo artista que veio da periferia e acaba tendo um crescimento
meteórico, Doni enfrenta a costumeira aproximação de pessoas interesseiras em
seu dinheiro também em pessoas de maior poder aquisitivo que vivem uma
realidade completamente diferente do qual ele viveu.

Em comparação a 1ª temporada, o elenco está mais afinado nas
atuações, percebe-se que ocorreu uma melhora técnica em vivenciar as cenas e
também no cuidado da produção, novas adições no elenco foram bem-vindas também.

No geral, tanto a Netflix e a produtora Gullane estão de
parabéns no capricho dos 6 episódios desta 2ª temporada, o amadurecimento na
história do trio protagonista e também no cuidado da parte técnica, como
encenação do elenco, cenários e até fotografia mostram que Felipe Braga (que
cuidou de grandes produções nacionais e não é irmão da Alice Braga, como muitos
pensam, e que ajuda também na produção) ouviu as criticas e trabalhou na melhora
tanto das coisas que deram certo e aperfeiçoou as coisas que deram errado.


Nota: 3,5/5

Sinopse:

Na nova temporada da série, um dos principais
lançamentos da Netflix em outubro, Jottapê retorna ao lado de Bruna
Mascarenhas e Christian Malheiros, nos papéis de Doni, Rita e Nando.
Agora, o trio tem novos desafios para encarar, que envolvem mágoas e assuntos
não resolvidos do passado. Além disso, dois anos depois dos acontecimentos dos
episódios anteriores, os protagonistas retornam mais maduros, o que também
causa transformação na forma como eles encaram as situações e vontades do dia a
dia.

Trailer:

Sem Avaliação

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.